A Organização de um Sistema de Gestão de Informação e de Conhecimento em Saúde em Portugal

Apresentam-se alguns subsídios sobre o nível de desenvolvimento da informação e conhecimento em Saúde em Portugal e um panorama geral das entidades que, no sistema de saúde, congregam essa informação.

A inserção de Portugal no espaço europeu e a necessidade verificada a nível de uma melhoria da qualidade dos serviços de saúde, que passe pela redução substancial dos processos burocráticos e pelo rápido acesso à informação, conduzem obrigatoriamente ao desenvolvimento de uma estrutura transversal vocacionada para gerir a informação e o conhecimento, utilizando-os no planeamento e na gestão da saúde da população, na gestão dos processos dos serviços de saúde e na prestação de informação em saúde ao cidadão. Tal implica estimular as organizações a fazerem parte de um sistema vocacionado para tal, colaborando com ele e usufruindo dos seus benefícios.

 Um Sistema de Gestão de Informação e de Conhecimento em Saúde tem como principal função o gerenciamento do "processo de negócio", representado aqui como processo de produção de serviços, bem como informação sobre o cidadão, a sua saúde e determinantes da saúde. Esta função e o "processo de gestão", bem como o seu respectivo controlo apenas se tornam viáveis se o "processo de negócio" da organização estiver bem definido, documentado e for conhecido pelos seus integrantes.

 Precisa-se, então, não só definir o processo, mas analisá-lo em tempo real para que suas falhas possam ser percebidas e modificações possam ser realizadas para que corresponda à nova realidade que representará. Na verdade, toda organização é constituída de processos. Os processos fazem parte do dia-a-dia e é necessário que, para que o produto ou serviço final tenha melhor qualidade, seja executado no prazo e dentro do orçamento, o processo seja bem definido, institucionalizado e controlado para possibilitar a sua melhoria contínua.

 

Este artigo faz o ponto da situação sobre o desenvolvimento da gestão de informação e do conhecimento na área da saúde procurando reunir subsídios para a estruturação de um sistema capaz de coordenar as diversas entidades envolvidas e permitir que o fluxo da informação ocorra e possa ser utilizado, gerando Conhecimento em Saúde.