A estratégia dum actor na adopção de novos fármacos

Autor: 
Vera Romão

Todos os profissionais que, numa ou noutra área, exercem a sua actividade no sector da saúde têm presente a constante evolução da ciência médica, bem como o constante aparecimento de novas doenças e de novas manifestações de uma mesma doença. Assim, se é verdade que o diagnóstico enfrenta continuamente novas dificuldades, também não é menos verdade que a ele está associada a necessidade de novas decisões clínicas, nomeadamente, nas escolhas de terapêuticas.

Todo este processo é, de perto, acompanhado pela Indústria farmacêutica, quer na investigação e desenvolvimento de novos agentes terapêuticos, quer, e prioritariamente no caso de Portugal, na divulgação / informação dos fármacos desenvolvidos pela casa mãe.

Nos últimos anos, o mercado farmacêutico português tem assistido a profundas alterações. Se por um lado temos assistido a fusões de multinacionais farmacêuticas, por outro lado muitos foram os laboratórios portugueses adquiridos por multinacionais, centralizando-se a actividade farmacêutica no registo de novos fármacos e no marketing.

Pré-visualizaçãoAnexoTamanho
A estratégia dum actor na adopção de novos fármacos45.3 KB