Prevalência de vítimas de violência física e psicológica (nas suas diferentes formas) nos trabalhadores de um hospital distrital

Autor: 
Inês Fronteira

Apesar de já ser falado em muitos outros países, a violência no local de trabalho continua a ser um tema pouco estudado em Portugal.

Este estudo visa dar a conhecer a problemática da violência nos funcionários de um Hospital Distrital da região da grande Lisboa, através da caracterização sócio-demográfica e profissional da população, cálculo da prevalência de vítimas de violência física, ameaça/agressão verbal, pressão moral, assédio sexual e discriminação e descrição das vítimas, local, agressor e atitudes perante cada tipo de violência.

A violência no local de trabalho está documentada em alguns países. Em Portugal, é um tema por explorar, do qual se desconhecem as verdadeiras dimensões e que acarreta pesados custos para as vítimas, instituições e serviços.

Material, população e métodos

Quantitativo, transversal, analítico, com o método indutivo de abordagem da problemática, este estudo deu a conhecer a problemática da violência nos funcionários de um Hospital Distrital da região da grande Lisboa, através da caracterização sócio-demográfica e profissional da população, cálculo da prevalência de vítimas de violência física, ameaça/agressão verbal, pressão moral, assédio sexual e discriminação e descrição das vítimas, local, agressor e atitudes perante cada tipo de violência.

Não foi seleccionada amostra tendo sido estudado o universo na sua totalidade. Como instrumento de medição foi utilizado o questionário. A análise dos dados baseou-se na estatística descritiva e analítica (teste não paramétrico do qui-quadrado, teste de t-student, odds ratio e regressão logística).