Exposição Profissional a Agentes Químicos: os indicadores biológicos na vigilância de saúde dos trabalhadores

A avaliação da exposição a substâncias químicas pode ser avaliada através da avaliação ambiental (dose externa) ou através de amostras biológicas (dose interna). Para avaliação da dose interna usam-se análises do sangue ou da urina, mas é também possível analisar o ar expirado, a saliva, produtos de biopsia ou, por exemplo, as faneras. A monitorização biológica constitui um elemento essencial nas estratégias de prevenção dos riscos profissionais de natureza química.

  publicado em Saúde&Trabalho. 4 (2003) 5-12

Os factores de risco de natureza química constituem um dos mais numerosos grupos de agentes de doença profissional, algumas das quais com acção mutagénica e cancerígena e outras com potencial alergénico.

A utilização de indicadores biológicos de exposição, quando disponível, constitui um critério mais rigoroso de avaliação da exposição profissional, comparativamente à estratégia de avaliação do risco centrada em informações da vigilância ambiental.

Os autores procuram, de uma forma sistematizada, chamar a atenção para as vantagens da estratégia de monitorização biológica das exposições profissionais, designadamente na sua componente integradora de factores extrínsecos e intrínsecos susceptíveis de influenciar o efeito (resposta) sobre o trabalhador exposto e, nesse sentido, destacam o papel que o médico do trabalho desempenha em tal domínio.

Pré-visualizaçãoAnexoTamanho
Exposição Profissional a Agentes Químicos107.11 KB