O Cidadão e a Saúde - da Resposta a Necessidades à Gestão de Expectativas, incluíndo o papel dos media

Autor: 
Isa Alves
Autor: 
Vitor Ramos

Os sistemas de saúde modernos avançados, assentes nos valores da solidariedade, da equidade e da participação revelam-se, cada vez mais, como importantes instrumentos de promoção do bem-estar e da coesão social das sociedades. Porém, confrontam-se permanentemente com tensões e com “gaps” que devem ser capazes de gerir, resolver ou superar ao longo das fases do seu desenvolvimento. De entre estes, destacamos no âmbito deste texto:

  1. A tensão entre necessidades sempre crescentes, expectativas pessoais e sociais cada vez mais exigentes e a inelutável limitação dos recursos disponíveis;
  2. O “gap” entre as expectativas do cidadão quanto à escolha de prestadores e de prestações e as limitações práticas, organizacionais, sócio-económicas, financeiras ou sistemico-legais a essa possibilidade de escolha;
  3. O “gap” entre as expectativas de participação nas decisões de saúde por parte do cidadão e a efectiva participação na tomada dessas decisões;
  4. O papel dos media na resposta adequada a necessidades e expectativas do público em matéria de informação sobre saúde e, também, na modulação ou distorção das percepções quanto a necessidades e expectativas em matéria de serviços e cuidados de saúde (reais, irreais, adequadas, inadequadas, com ou sem base científica, etc.)

Este texto foi elaborado no âmbito do think tank Saúde-em-Rede’2010, subordinado ao tema “O Cidadão e a Saúde”, iniciativa desenvolvida pelo Hospital do Futuro. Março 2010.

Pré-visualizaçãoAnexoTamanho
Necessidades e expectativas do cidadão645.91 KB