Plano estratégico para a formação nas áreas de saúde II

O "Plano estratégico para a formação nas áreas da saúde" foi apresentado em Dezembro de 2001 concretizando um dos aspectos previstos na Resolução do Conselho de Ministros nº 140/98, de 4 de DezembroO Plano estratégico para a formação nas áreas da saúde utilizou uma abordagem profissão a profissão e o cálculo de necessidades de formação pré-graduada baseou-se na contabilização de lugares de quadro não preenchidos no SNS e necessidades calculadas para fazer funcionar novos projectos (para o caso de enfermagem), aposentações previstas e média de habitantes por profissional em comparação com a média europeia.

O planeamento integrado de recursos humanos na saúde envolve determinar os números, mistura (de profissões ou competências) e distribuição de prestadores de cuidados que serão necessários para colmatar as necessidades, preferências e expectativas das populações no futuro. As funções para que são formados os profissionais sofrem evoluções no tempo, assistindo-se à emergência de novas profissões e de diferentes arranjos organizacionais para que os diferentes saberes se articulem na melhor resposta possível, em cada momento, às necessidades individuais e das populações.

Ficou por aproximar, como se desenvolverá no futuro, a determinação das necessidades em recursos humanos na saúde, que necessidades de informação para estes cálculos não estão satisfeitas e, como se poderá caminhar para um entendimento na redistribuição de funções entre algumas profissões de saúde.

Pré-visualizaçãoAnexoTamanho
Plano estratégico para a formação nas áreas de saúde II63.51 KB