Regulação na Saúde... e a pandemia de reformas nos sistemas de saúde

Autor: 
Vitor Ramos

Assiste-se, há mais de 20 anos, a um fenómeno quase universal e provavelmente interminável: o da vaga de intenções e de planos de "reformas da saúde" visando praticamente todos os sistemas organizados de saúde dos países desenvolvidos.Os processos inerentes à garantia do acesso aos cuidados de saúde e à sua prestação com eficiência e qualidade tornaram-se, em todo o mundo, extremamente complexos, cada vez mais dispendiosos e nem sempre com a eficácia desejada. Talvez por isso mesmo se assista, há mais de 20 anos, a um fenómeno quase universal e provavelmente interminável: o da vaga de intenções e de planos de "reformas da saúde" visando praticamente todos os sistemas organizados de saúde dos países desenvolvidos 1.

A expressão "reforma da saúde" tornou-se um lugar comum no discurso político e nos media, em todo o mundo. Mas, dado que os princípios, as características, a estrutura organizacional, a gestão e a qualidade do desempenho dos diversos sistemas diferem muito entre si, como explicar esta sincronia, esta pandemia de "reformas"? Será porque os sistemas existentes já não servem? Estão todos mal?